quinta-feira, 25 de setembro de 2008

História, saber, Ser...

Traços que desenham uma história
reconstituem um passado
reafirmam um presente,
renovam um futuro.

Cores que expressam sabor, dor, alegria,
contentamento, sentimento.
Formas que brincam de saber,
sem querer, sabem...

As lembranças em objetos,
o valor de gerações esquecidas
depositadas na esperança de quem valoriza a vida.

O requinte de histórias de rainhas, reis e plebeus
hoje enraizadas em formas arquitetônicas
apreciadas pelo olhar do povo de um novo tempo.

O minuto que sustenta a eternidade,
a lembrança que reproduz a emoção,
o doar que faz a viagem acontecer,
espalhando a história, o saber, o Ser.

*A bolsa/pasta , artesanato do especial povo da Guiné-Bissau
O caderno, réplica dos cadernos do rei e rainha de Savoia
O cartão do museu Palazzo Madana, Turim, Itália
(uma história cheia de saberes que viaja através dos amigos Mara e Carlos)

(Texto: Andréa Zílio / Foto: Sérgio Vale)

2 comentários:

Maracimoni disse...

Andrea,

Este e o primeiro poema para a tua agenda? Queremos ver ela cheinha desses versos bonitos que brotam de voce.
As lembrancas sao mesmo a tua cara porque sabes dar valor a historia que esta na simplicidade das coisas. O belo esta na simplicidade.
Parabens por esse espaco aberto para a poesia, a simplicidade, a amizade, o carinho, as boas ideias, aos sonhos...
Beijos nossos, levados pela brisa do vento...

Saudades...
Mara e Carlos

Daniele disse...

Parabens Andre! Adorei o poema...pena que não sei escrever assim pra colocar também meus agradecimentos a nossa grande amiga.

Bjo