segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Verve!

Me desfaço nessa verve lembrança
de uma serena imagem de contentamento.
Um lúcido transbordar do sorriso que
amedronta os pesadelos.

Um descanso à alma livre,
no sabor da vivacidade do momento.
"Sem que um sonho, no erguer de asa,
faça até mais rubra a brasa da lareira!"

*aspas de Fernando Pessoa
(Texto: Andréa Zílio)

2 comentários:

Anônimo disse...

Laiana,
que bom ler tuas palavras poéticas novamente. Senti falta desse elo entre nós. Alfa continua a todo vapor, mas não tão bem quanto essa tua criatividade e sensibilidade em colocar no papel o que você sente, observa. Beijo!
(Alfa Rêgo)

Claudinha Bártholo disse...

Do sorriso que amedronta os pesadelos...

:) Um cheiro, um beijo!

Lindas palavras...