sexta-feira, 20 de março de 2009

Livres almas!

"Almas livres escalando sonhos impossíveis"
Essa frase veio em uma caixinha, quando eu ainda estava na redação do jornal Página 20, há uns cinco anos. O remetente: uma grife chamada Ospício (isso mesmo, sem h), que a enviou em uma camisa com detalhes em material ecologicamente correto. Desde então, minha alma caminha na tentativa de ser assim, sempre livre, na escalada de sonhos "impossíveis". E nela me deparo em outra frase, a de Fernando Pessoa, "Tenho em mim todos os sonhos do mundo". E para complementar, outra de Pessoa, "Tudo vale a pena se a alma não é pequena".
Diante disso, ratifico a necessidade de sonhar a cada dia, em cada etapa e momento da vida. Demagogia ou locura de minha alma?
Hoje encontrei em um e-mail enviado por minha amiga Solene, intitulado "Fotografias com a alma", com um texto de Aristóteles, e belas imagens do fotografo Rarindra Prakarsa, novamente falando da liberdade necessária para o ser humano, a importância de depositar sonhos em você mesmo, aqueles vindos de seu íntimo.
E nesse dinamismo que fazem de paralelos uma linear, encontro nesse Feito meu Preceito, ALMA E SONHOS, sempre juntos, se encontrando e caminhando lado a lado, nessa verve que sacia a sede da vida.
(Texto: A.Z / Fotos: Rarindra Prakarsa)

2 comentários:

Golby Pullig disse...

Esse sonhar e realizar é que te constrói e me contagia. Liberdade! Essa é de verdade a tua palavra. Te admiro muto por manter essa chama sempre ardendo. Um beijo grande cara Zílio. Saudade de ti, saudades de nós.

Golby disse...

Põe um "i" no muito, por favor. Isso depõe contra mim..rs..rs..