segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Alma inquieta

Doce inveja do "normal", 
do sair e chegar em casa com a mesma tranquilidade,
do fim de semana acomodado. 
Essa alma inquieta que não me deixa sossegar, vontade de descobrir o mundo nas páginas de um livro, em uma viagem, em uma história.
Desbravar cada minuto como se fosse o último, fazer, ouvir, falar, fazer.
Escalar mais montanhas, descer cachoeiras, tomar banho de rio, pular as ondas do mar em vários litorais, conhecer mais da cultura do Brasil, do mundo, visitar museus, conversar com mais gente, dançar ritmos desconhecidos, comer comidas jamais vistas.
Estar enganjado em projetos mirabolantes, de pequenos resultados, mas grandes feitos.
Apreciar diversos cenários, chorar diante da dor do mundo, brincar por mais vezes, sorrir por causa de um simples olhar de quem nunca vi antes, aprender a falar mais idiomas, ver o mundo em outras cores. Navegar, voar, andar...
(A.Z / Foto: Nuno Manuel.Olhares)

Um comentário:

Golby Pullig disse...

É isso aí, nunca é pouco mesmo...É boa nutrir essa energia porque tem mesmo uma hora que a gente desacelera por qualquer motivo que seja. Beijo Zílio, feliz novas descobertas pra ti. E tem texto novo no meu blog. Valeu o puxão de orelha.rs...rs.