segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Blues

A felicidade brota neste cintilar de momentos. Ela abre a porta e seu cheiro exala no ar, inebria o ambiente gerando sorrisos.
Seu toque aguça todos os desejos, faz o corpo tremular gerando novas cores ao cenário.
Um som espalha-se embalando uma nova dança. Os olhos brilham, os gestos desajeitados tentam encontrar movimento coerente, mas é na incerteza dos atos que se refaz um novo blues, emanando alegria, saudade do que será vivido.
Nesse turbilhão ela consegue encontrar serenidade no aconchego de sua pele diante da explosiva vontade do querer. Essa pele, antídoto da sede da paixão.

(Texto: A.Z)

2 comentários:

Aleta Dreves disse...

uauuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!

Anônimo disse...

"Pele, antídoto da sede da paixão"...forte em Andréa Zilio, quando crescer quero escrever que nem tu !!
Van